Missão

A Conservação de Recursos Genéticos Vegetais constitui uma “Rede de Segurança” para a produção agrícola (ECPGR - The European Cooperative Programme for Plant Genetic Resources).

A conservação do património genético vegetal está a revelar-se essencial para a adaptação da produção agrícola às alterações climáticas, uma vez que permite aceder a material genético passível de se adaptar não só a condições climáticas nunca antes sentidas como a novos perfis de pragas e doenças.

A produção em consociação tem como objetivo aumentar rendimentos, tirando partido das diferenças e complementaridades entre espécies. Nomeadamente no que diz respeito a ao sistema radicular (permitindo explorar diferentes zonas do solo), à altura das plantas (promovendo o ensombramento de espécies que necessitem de sombra e servindo as culturas mais altas também de sistemas de condução).

A produção em consociação promove ainda a biodiversidade uma vez que cria habitats favoráveis à instalação de insetos e microrganismos do solo, que de outra forma não se fixariam, e o combate a pragas promovido pela redução da homogeneidade da cultura.

As consociações com leguminosas de grão, em particular, representam ainda uma estratégia de redução de inputs e mitigação de emissões de gases de efeito estufa (GEE), uma vez que a utilização de leguminosas fixadoras de azoto diminui a necessidade de aplicação de fertilizantes de azoto de síntese.

SOBRE NÓS

O Projeto CONVIGNA é um Grupo Operacional constituído com o intuito de criar uma metodologia de produção destinada a variedades tradicionais portuguesas passíveis de adaptação às alterações climáticas, promovendo as boas práticas agrícolas.

Procura-se, por isso, tirar partido da riqueza que o nosso país tem em termos de recursos genéticos vegetais, nunca esquecendo a importância da conservação de germoplasma vegetal.

SOBRE NÓS

Reunimos por isso, a investigação (INIAV), a produção agrícola (Living Farms) e o Setor das Sementes (ANSEME e Living Seeds), por forma a constituir um grupo de expertise nesta matéria.

Parceiros

Image
Image
Image
Image
Image

OBJETIVOS

  • Desenvolvimento de uma metodologia para a produção de milho em consociação com feijão-frade, adaptada a diferentes regiões de Portugal, num contexto de alterações climáticas

  • Promoção do uso de práticas agrícolas sustentáveis e da eficiência dos recursos naturais em Modo de Produção Biológico (MPB).
OBJETIVOS

Fases do Projeto

FASE 0

DEFINIÇÃO DO ESTUDO E PREPARAÇÃO DE CANDIDATURA [ANO 0 – 1 ANO]

Definição dos principais objetivos, metodologia e responsabilidades do projeto.

FASE 1

RECOLHA MULTIPLICAÇÃO DE SEMENTES [ANO 1 – 1 ANO]

Seleção e recolha de variedades de feijão-frade de várias zonas do país com potencial agronómico para consociação com milho.

Multiplicação a diferentes densidades, de modo a identificar as variedades mais promissoras para consociação e assegurar disponibilidade de semente para o ano seguinte.

FASE 2

Realização e monitorização de ensaios [Anos 2 e 3 – 2 anos]

Nestes ensaios serão testadas diferentes datas de sementeira e diferentes volumes de irrigação para avaliar a performance das culturas em consociação em diferentes condições.

Pretende-se ainda, nesta fase, elaborar um manual de boas práticas com toda a metodologia, resultados e conclusões do projeto.

RESULTADOS PRELIMINARES

  • No ano de 2019 a germinação do feijão-frade no campo de Braga não foi a melhor devido a alguma instabilidade nas temperaturas aquando da germinação;
  • Houve alguns focos de morrão quer no campo experimental de Braga quer no campo experimental de Idanha-a-Nova;
  • Nos campos de Idanha-a-Nova e Elvas houve um grande desfasamento entre a fase de maturação da cultura do feijão frade e do milho ao contrário de Braga, o que levou a problemas na gestão hídrica do ensaio (milho necessita de rega para encher o grão enquanto feijão frade encontra-se na maturação).
Estando escrito no plano inicial do projecto a possibilidade de testar diferentes datas de sementeira e diferentes volumes de irrigação e devido às distintas condições edafo-climáticas entre os três locais de ensaio foram abordadas as seguintes ideias:
  • Possibilidade de sementeira em alturas distintas adaptando à localização do ensaio (Braga, Idanha-a-Nova, Elvas);
  • Possibilidade de menor espaçamento entrelinhas em Idanha-a-Nova (muito espaço descoberto que leva a uma elevada evapotranspiração);
  • Teste de volume de irrigação condicionado em 2 blocos (volume 1 e volume 2);
  • Possibilidade de usar outro genótipo de milho com um ciclo mais curto para as culturas terem ciclos culturais semelhantes;
    Possibilidade de testar outros genótipos de feijão frade avaliados no ano 1 do ensaio (2018).

Horta

Galeria

Contactos